O naufrágio do Mito Bolsonaro e o afogamento de Julien Lemos

 Essa história do povo fabricar Mito é um atraso colossal. Ao longo dos tempos, os mitos foram o falseamento da verdade real e só serviram para causar assombros, transtornos e danos materiais e sociais em toda a humanidade. São causa da infelicidade, infortúnios e frustrações dos povos.

Elevar homens à categoria de mito é uma tragédia à parte na mitologia, que começa e termina em geral na enganação e na exploração do homem pelo homem e na fantasmagorização da realidade humana.

No Brasil, a esquerdofrenia jurássica tirou a condição humana de Lula e o transformou em mito maquiado, uma obra ilusionista e cosmética de maus resultados estéticos que agravou seus desvios de caráter – foi de santo de barro cru a fantasma assustador. Nem ele próprio sabe hoje quem é, de tão disforme e remendado que ficou.

Enquanto os marxistas enfeitam Lula com rosas vermelhas murchas e o povo brasileiro em sua maioria o abomina, o resto do mundo derruba até as estátuas de bronze dos ex-mitos que criaram em tempos de alucinação coletiva e regimes de opressão. O lixo da história está repleto deles.

O mais recente produto da mitologia brasileira é Bolsonaro, outro santo de argila que não resiste a um tombo do andor e que nem o povo nem ele próprio sabem direito quem é . Trata-se, sem dúvida, de um fenômeno de ocasião, fruto da imaginação coletiva engenhosa que queria inventar um mito-espantalho para afugentar os maus agouros do mito-assombração. Nada mais que isso.

O bolsonarismo, sim, é o maior contingente ativo que o Brasil possui em estado permanente de ebulição política, até que sejam resolvidas as cobranças de sua cruzada eleitoral vitoriosa. Bolsonaro, com toda as suas precariedades, é apenas o instrumento da mudança, se não se revelar, prematuramente, precário demais.

Claramente despreparado para governar o país, mas mesmo assim ungido para cumprir a missão, Bolsonaro precisa ter dois governos : um para gerir os gravíssimos conflitos que cria com suas próprias palavras e atitudes impensadas e com o amadorismo e exibicionismo perigoso dos filhos e principais membros da equipe ( quase todos tisnados ); e outro governo para uma sociedade que não quer perder a esperança reconquistada e o voto posto na urna.

Ainda bem que o mito Bolsonaro está morrendo precocemente, dando lugar ao líder que emergiu das urnas cheio de cobranças e compromissos, desafiado a por ordem e sabedoria na governança a partir de sua própria casa, sob pena de um naufrágio de dimensões tsunâmicas.

Casos como o do deputado Julien Lemos, que demonstra ralo preparo na condução de seu papel parlamentar, queimando em pouco tempo prestígio junto à corte presidencial, possivelmente causando muitos danos aos colaboradores paraibanos que levou à equipe de transição, é uma forte evidência de que mitologia começa matando os seus próprios adoradores. É preciso ir devagar com o andor.

Fonte: Gilvan Freire

Silêncio de órgãos e entidades sobre agressor socialista revela uso seletivo de movimentos na Paraíba

 

É impressionante o silêncio ensurdecedor de movimentos feministas, órgãos públicos e lideranças políticas com os fatos envolvendo o prefeito socialista , de Sousa, Fábio Tayrone, e a advogada Myriam Gadelha. Dá impressão de que para alguns setores há interesse, não pelos fatos, mas pelos personagens.

Nesse caso específico o acusado de agredir a namorada, a chutes, soco e xingamentos, é aliado político, prefeito de uma grande cidade da Paraíba, e filiado ao PSB, partido político do governador do estado da Paraíba.

Até a mídia do Governo tratou de esconder o fato, a exemplo do que aconteceu quando a ex-primeira dama, Pâmela Bório, foi agredida dentro da Granja Santana, residência oficial do Governo do Estado.

Trata-se de uma omissão criminosa. Que apenas revela a podridão da política seletiva que escolhe a quem prestar solidariedade. Sendo aliado o agressor não deve ser alvo de notas, movimentos, faixas ou protestos.

A advogada, mulher, trabalhadora, agredida covardemente pelo agressor socialista, não precisa de nota dos omissos, afinal o sentimento da sociedade da Paraíba deve encher a alma da vítima de solidariedade.

O cinismo dos covardes alcançou grau imensurável na Paraíba. Estão escondidos os que se apresentam como defensores de minorias. Estão enganados, também, pois a sociedade está atenta, e vendo tudo.

Em breve, muito breve, a máscara haverá de cair.

 

Leia mais notícias no  portal www.1001noticias.com.br 

http://www.1001noticiasfm.com/  http://www.1001noticias.com.br/blog/

http://www.tv1001noticias.com.br/  no Youtube e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e veja nossos vídeos.

Você também pode enviar informações à Redação do Portal 1001 Noticias pelo WhatsApp (83) 9 88 66 - 50 11. 

 

Da Redação com Roberto Noticia  

e  Marcelo José

Jornalista e advogado

Parabéns! Kammylla Roberta, uma estrela de brilho próprio e orgulho de seus pais

 PARABÉNS KAMYLLA ROBERTA, ORGULHO DO SEU PAI

Filhos são dádivas de DEUS. Os dedos das mãos não são iguais, mas é possível saber que nas diferenças encontramos os que se destacam.

Hoje, Minha filha caçula, Kammyla Roberta faz mais um aniversário. Chega aos 13 anos, entrando na fase de adolescente. Está ficando mais velha e sábia, ainda uma criança, como digo sempre, que me enche de orgulho, por sua disciplina, respeito e coragem de enfrentar as dificuldades, que a vida nos encarrega.

Não sou estudioso, sobre DNA, mas sei que me orgulha em saber que traz um pouco do seu pai, sem vaidade, mas pela sua afirmação como ser humana e competência em tudo que faz, Sempre se destacando com a sua inteligência, que lhe é peculiar.

São muitas virtudes, que não tenho palavras para expressar, além de saber, quando erra, e tem interesse e sabedoria em procurar aprender e humildade em reconhecer, o que não é habitual nos dias de hoje.

Kammylla Roberta, Minha filha, você e uma pessoa importante na minha vida. E você é a melhor filha que eu poderia ter, é um presente que Deus colocou em minhas mãos para eu cuidar, educar e fazer feliz.

Quando Deus te colocou no mundo, pensou muito em mim, pois você é uma pessoa que me faz cada dia mais feliz. Que entende meus motivos de querer te proteger e cuidar de você.

Você é uma filha sábia, que compreende, que me aconselha, que me ajuda o máximo que pode, que faz de tudo para me agradar, enfim, obrigada por tudo minha filha querida. Eu te amo muito e, sou muito feliz por ter você como filha.

Espero que você nunca esqueça que é a pessoa mais importante para mim. Você é insubstituível!

"Filha, você nunca sabe que resultados virão da sua ação, mas se você não fizer nada, não existirão resultados." O mais importante da vida não é a situação em que estamos, e sim a direção para a qual nos movemos.

Você é a página mais linda que o destino escreveu na minha vida. Obrigada por todos os carinhos, por todas as compreensões e por todo o seu amor por mim.
Filha Kammylla, te amo de todas as formas.

Te amo agora
Te amo depois
Te amo quando ficar
Te amo quando for
Te amo quando chover
Te amo quando fizer sol
Te amo aqui
Te amo lá
Te amo em todo lugar
Te amo quando você estiver ao meu lado
Te amo quando você disser adeus
Te amo o dia todo
Te amo todos os dias
Te amo nos meus sonhos
Te amo nos momentos mais felizes
Te amo nos momentos mais triste
Te amo nos momentos mais difíceis
Te amo ao sorrir
Te amo ao chorar
Te amo de segunda a segunda 
Te amo INTENSAMENTE
Te amo de um jeito simples
Te amo de um jeito complicado
Te amo de um jeito diferente
Te amo nas melhores e piores fases
Te amo quando estou com você
Te amo quando não estou com você
Te amo ao ouvir aquela música
Te amo ao ouvir todas as outras
Te amo no verão
Te amo no inverno
Te amo quando tudo mudar
Te amo quando você errar
Te amo quando você chorar
Te amo quando você sorrir
Te amo com toda força.

Te desejo que cresça e alcance todos os seus sonhos e nunca perca a humildade e fé em DEUS.

“Na escola você recebe a lição e depois faz a prova. Na vida você faz a prova e depois recebe a lição”.

Parabéns!!!! Sucesso e Saúde Sempre... É o que deseja seu pai, mãe e irmãos.

Roberto Notícia.

O Preço de uma vitória e o inconformismo dos derrotados

 Após ter sido eleito um dos deputados federais mais votados da Paraíba, incomodando de forma criteriosa diversas alas também da política Nacional, devido ao seu discurso combativo contra a corrupção e em favor da família, eis que alguns setores da mídia, assim como algumas caricaturas da política paraibana, avessos e inconformados com a vitória de Julian e do seu dileto amigo e presidente da República, eleito, Jair Messias Bolsonaro, tentam minar a imagem do deputado, utilizando-se de fatos já consolidados e por vezes já refutados através da verdade, nesse sentido imperioso destacar que com relação aos falaciosos crimes da Lei Maria da Penha, supostamente havidos contra a sua ex esposa, restou dito, inclusive, reiteradamente pela mesma: “Eu me exaltei nas palavras e falei além do ocorrido”, sendo assim, os inquéritos foram fundamentadamente arquivados, ou seja, não há culpa sem culpado, sequer houve processo, pois a denúncia não foi recebida, na verdade, como dito, estancou-se na fase pre processual (arquivamento do inquérito).

 

Já dizia Santo Agostinho: “As pessoas costumam amar a verdade quando esta as ilumina, porém tendem a odiá-la quando as confronta”, nesse viés, o desapego à verdade vem sendo uma constante em face da vida particular de Julian Lemos, talvez para se criar uma via reflexa ao presidente eleito, visto ser o principal aliado deste, para tanto, basta verificar as articulações em bloco contra o deputado eleito por parte da mídia e políticos oposicionistas, pois, numa nítida intenção de macular a imagem de Julian, aduzem existir ainda, uma condenação contra si por crime de estelionato, mas, a bem da verdade, não houve crime, pior, Julian não era parte legítima no processo, houve uma confusão processual entre a função de gerente (cargo exercido por Julian) e sócio, contudo, importa destacar que nestes autos houve a extinção da punibilidade, ou seja, a preço de hoje, não há que se falar sequer em condenação ou reincidência, sendo considerado um cidadão de vida limpa e ilibada.

A vida pública tem seus percalços, e Julian Lemos com a coragem que lhe é peculiar sabe enfrentar os discursos adversos, por vezes mentirosos e “invencionistas”, ciente de que isto é o resultado de se conseguir o apoio popular, galgando cada passo com honestidade, verdade e altivez, com 71.899 votos, derrotando grandes nomes da política paraibana, o Campinense de 42 anos de idade, vice-presidente Nacional de PSL, nomeado para a equipe de transição e braço direito do Presidente Eleito Jair Bolsonaro, é sem dúvida um orgulho para a Paraíba, motivo de regozijo para quem acredita no avanço do Estado.

Inácio Queiroz

Advogado criminalista

Imprensa tem lado sim, e é questionada em sua “independência” no Brasil de hoje

O radicalismo político que estamos vivenciando nos últimos anos tem trazido vários desdobramentos, principalmente no setor da imprensa do Brasil. Ficou evidenciado nesta última eleição, Quando algum órgão da grande imprensa brasileira se posicionou a favor do candidato da esquerda, Fernando Haddad.  

Até ai, tudo bem, em países mais desenvolvidos a exemplo dos Estados Unidos, já há um bom tempo, por lá existe veículos de comunicação que falam a linguaje dos Republicados e outros dos Democratas. O leitor, ouvinte ou telespectador, tem a livre escolha do que escutar, ou vê.

Aqui, no Brasil, com a mudança de governo, ou sem ele, alguns jornalistas ou radialistas, que “rezam” na cartilha do patrão. Por que em sua maioria sobrevivem das verbas públicas, ou se não fecham seus veículos. Querem ser intocáveis, ou seja, quando alguém tem opinião diferente. Se valer do antigo “jargão”, que a imprensa é intocável. O que não é verdade.

Nesta eleição. O recado ficou bem claro, quando o presidente eleito, Jair Bolsonaro usou muito bem as redes sociais, apoiado por grande parte da população, que trabalhou de graça e conseguiu êxito, mudando um quadro bastante corriqueiro, que os grandes veículos sempre ditavam o que queriam e a população era manipulada como massa de manobra.

Já é tempo de alguns jornalistas ou radialistas assumirem as suas posições e dizer que estão a serviços do órgão que trabalha ou assumir sua posição que é de esquerda, direita  ou centro. Não é mais aceito essa história que são “independentes”, algo que a população sabe muito bem que não é verdade.

Sou a favor que fez parte do um órgão público, deve prestar contas a sociedade, agora está na hora, dos veículos de comunicação também terem as suas verbas também fiscalizadas pelo povo, ou seja, que os órgãos públicos democratizem as suas verbas.  Não como tem sido feito, há algum tempo,

Tem hoje, fato novo, que já vem há bastante tempo, demostrando a sua força, que é as redes sociais, onde o cidadão comum opina e mostra o outro lado, com questionamentos, que não tinham num passado bem próximo. É preciso ficar atendo as mudanças dos hábitos da sociedade, que não é tão enganada como antigamente.

Em artigo publicado recentemente na imprensa, vejam o que diz o jornalista Mário Marona. E tire as suas conclusões se realmente existe imprensa livre no Brasil.

"O Brasil não tem uma imprensa isenta que não seja pobre, alternativa, e feita com o sacrifício pessoal de uns poucos jornalistas que abrem mão do conforto que poderiam dar às suas famílias para suprir a carência de informação confiável na mídia tradicional. Enquanto o Brasil não tiver uma imprensa independente e isenta, que sirva de alternativa e contraponto, será governado por uma imprensa inescrupulosa e canalha", afirma o jornalista Mário Marona, ex-Globo.

 

Roberto Notícia

Jornalista